Skip to content

O quarto que fedia – terceiro capítulo

abril 14, 2010

Depois de identificado o problema, o mais sensato e esperado seria resolvê-lo, certo? Continue comigo refletindo um pouco sobre a influência de pecados não confessados em nossa vida e como combatê-los.

2) ACABE COM O PROBLEMA!

“… e guia-me pelo caminho eterno.” (Salmo 139:24b)

 
Bom, apesar de termos avançado um ponto nesta série, no meu quarto infelizmente durante todo aquele semestre não conseguimos identificar a origem do problema… mas sabíamos de uma coisa: aquilo tinha que acabar!

Então decidimos que tudo seria válido para capturar a origem do fedor, porque alguma coisa era, e em algum lugar estava… então lá fomos nós. Eu doei um bombom para a “operação caça-rato” e fui atrás de uma ratoeira. Colocamos e esperamos… afinal, se fosse um rato, ele não resistiria, cairia na minha armadilha e o problema finalmente seria resolvido. Armadilha pronta. Esperamos. O chocolate esbranquiçou, envelheceu, que dor no coração, e nada do “little mouse” aparecer. Um dia, em uma das expedições de busca, encontrei atrás do armário um ovinho de chocolate todo roído… mas como o rato nunca aparecia, resolvemos tentar outras coisas, sempre deixando a ratoeira a postos.

Próxima ideia brilhante: vigília para ver se algum “fenômeno estranho” acontecia durante a noite, que desencadearia o mau cheiro (prometo que essa não foi ideia minha). Bem, a vigília acabou às 23:30 com uma punição das nossas chefes de quarto, já que  as luzes tinham que estar apagadas! Eu tinha medo de dormir no escuro sabendo que algum ser não identificado, com um cheiro MUITO BEM CONHECIDO, podia estar passeando por ali… o pior era quando as meninas viajavam pra casa no fim de semana e eu ficava lá: eu e o cheiro, o cheiro e eu. Prometo que não estou exagerando, era terrorismo mesmo!

Várias outras ideias surgiram: veneno no carpete e dedetização, que não foram postas em prática porque teríamos que sair de lá e não tínhamos para onde ir… e, eu ainda insistia, quebrar as paredes e ver o que tinha lá dentro. Eu insistia nisso porque uma coisa já estava concluída mediante análise e observação constante: o cheiro sempre vinha das laterais do quarto, nunca do centro! Mas eu sempre ouvia não, não e não, é caro e dá trabalho.

Bom, infelizmente a não-adoção das medidas necessárias, por serem um pouco mais radicais, trouxeram consequências catastróficas (não percam…), que podem também acontecer conosco se não resolvermos o problema de vez. Preste atenção nesta frase: RESOLVER o problema de vez… resolver…. decisão… escolha. Resolver iniciar a batalha contra o pecado… e fazer o que for preciso, pelo tempo que for preciso.

E quais seriam as nossas ratoeiras e venenos para exterminar o pecado? Pela graça e misericórdia de Deus, não precisamos de várias estratégias, temos um excelente “pecadicida”, que mata tudo!

“Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar e
nos purificar de toda a injustiça.” (1Jo 1:9)

É isso que Deus quer que façamos para exterminar os pecados que existem em nós! Confissão. Logicamente eu sei que você me entende, não é  a confissão que faz, mas o que Deus faz através dela. Envolve a obra divina… que se manifesta em você quando você se arrepende e escolhe confessar.

A confissão proveniente de um coração arrependido “mata tudo”. Agora pense comigo, como é que se põe veneno para matar barata? No pacote fechadinho em um lugar só? Ou nos lugares de risco, bem onde ela costuma andar?

Justamente. Confissão também é isso. Não é usar o pacote fechado, orando “Senhor, perdoa a multidão dos meus pecados….”. Não não. Confissão é “abrir a embalagem” e dizer devagarinho, humildemente, um a um, as áreas em que precisamos de perdão!

“Senhor, perdoa o meu orgulho, a inveja que senti da minha amiga que cortou o cabelo e ficou melhor que o meu, o meu pouco caso com a Sua obra, a minha indiferença em não orar pelos que precisam, a minha má vontade com meus pais, a resposta grossa que dei ao meu marido e ainda joguei a culpa na TPM….”

Agora sim… isso é fazer uma bela e boa exterminação!! Por isso o primeiro passo é importante: identifique seus pecados como tal, nomeie-os como tal, e confesse-os a Deus. Não chame de vício, doença, TPM, problema de comportamento… para o pecado, há perdão e restauração. E é isso que Deus quer de nós!!

Outra medida que tomamos no desespero, como eu já falei em outro capítulo, foi usar vela cheirosa, spray desodorizante, todas essas coisas que não resolvem o problema, mas mascaram, para nossa comodidade. Pare e reflita, o que você tem usado para mascarar pecados não confessados? Boas obras? Cantar no louvor? Dar aulas no cultinho? Dízimo? Sem dúvida, todas estas coisas exalam um perfume muito bom e agradável, mas se o seu interior não estiver limpo, não se engane: você está só mascarando o seu pecado, não resolvendo. Ele continua lá. E pode ter certeza, não há “spray desodorante” que dê conta de perfumar externamente algo que segue apodrecendo por dentro. (foi o caso do meu quarto, depois de um tempo nem vela nem spray juntos seguravam!). E, se você lembra do post “exalando o bom perfume”, vimos que o bom perfume de Cristo vem de uma comunhão com Ele, ou seja, de uma vida interior que também é perfumada!

Cuidado, meninas, e levem isto muito a sério. Uma vida de comunhão, de perfume verdadeiramente suave e agradável, é uma vida de confissão de pecados, um a um, em humildade. Que Deus nos ajude a realmente buscar um coração puro, dia a dia!!

 
Identificado e resolvido, como mantê-lo longe?

 

Continua na segunda-feira…

 

 NO PRÓXIMO CAPÍTULO…

“Não há gambá que se aproxime de uma sala limpa e bem cuidada…”

“…mal sabia eu que o final ainda estava por vir, quando o cheiro finalmente foi descoberto,
alguns MESES depois, e as consequências dessa descoberta…”

 

 

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. DayDumiense permalink
    abril 14, 2010 3:18 pm

    Excelente exercício cristão.
    Louvo a Deus pela disponiblidade em compartilhar de suas experiências com o Pai. Tem sido bastante edificante.
    Obrigada!

  2. Patty permalink
    abril 15, 2010 3:39 am

    Tô me divertindo muitoooo…quero logo saber o final da história!!! rs
    Como é bom meditar em coisas comuns e fazer um paralelo com a nossa vida cristã!!!!
    bjos

  3. abril 15, 2010 10:25 am

    Obrigada Naná e keep it up! Mais uma vez, de-ci-sao, confissao de pecados nominal e individualmente…..ô coisa dificil de se fazer!

    Obrigada por sua vida e por seus textos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: