Skip to content

Mães – parte 02

maio 8, 2010

 “Semelhantemente, ensine as mulheres mais velhas a serem reverentes na sua maneira de viver, a não serem caluniadoras nem escravizadas a muito vinho, mas a serem capazes de ensinar o que é bom. Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a amarem seus maridos e seus filhos, a serem prudentes e puras, a estarem ocupadas em casa, e a serem bondosas e sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja difamada” (Tito 2:3-5)

Minha mãe e eu, no meu terceiro aniversário. Maio de 1985

Depois de toda a maratona descrita no capítulo anterior, os filhos crescem. E as mães… continuam sendo mães!

E continuam sendo figuras únicas. Elas pedem pra gente ler alguma coisa pra elas, porque elas esqueceram (ou perderam) os óculos em algum lugar. Elas trocam os nomes dos nossos amigos, mas continuam sabendo exatamente com quem a gente anda. Elas pedem pro nosso pai pegar leve na hora de ensinar a dirigir. Elas se voluntariam a andar de carro com a gente no volante enquanto a gente ainda não pode pegar o carro sozinha. Elas não deixam você desanimar quando bate o carro pela primeira vez… ou segunda.  Elas pedem pro nosso pai pegar leve quando o “candidato” aparecer. Elas fazem a comida preferida do “candidato” quando ele vai em casa.  Elas oram pelos nossos estudos. Oram pela nossa profissão. Oram pelos nossos futuros maridos. Oram pelo nosso namoro. Torcem pelo nosso noivado. Acolhem as eventuais dores de cotovelo que ainda aparecerem pelo caminho.  Não levam mais a gente pra passear… elas chamam a gente pra passear com elas. Bem diferente, por sinal! Vibram com a gente. Vivem com a gente. Mães estão sempre presentes… e são presentes de Deus.

E tem mais! Elas falam que “um dia a sua vez vai chegar”, quando você dá uma risadinha porque ela não enxerga direito ou porque ela confundiu de novo o nome de alguém. Reclamam que você tomou multa de novo e que os pontos da carteira dela, que não tem nada a ver com o assunto, vão estourar.  Ensinam a cozinhar e falam que quem tem que cozinhar em casa quando o “candidato” aparece é você, afinal, é você que tá em treinamento! Pedem pra gente secar e guardar a louça, além de arrumar a cama, o quarto, o armário e o banheiro. Elas querem saber como vai o desempenho nos estudos e se você tem honrado o privilégio que é poder cursar uma universidade. Elas dão bronca porque você caiu de novo na conversa mole de alguém, será que não aprendeu ainda!! Elas dão bronca porque você quebrou a cara quando fez alguma coisa que elas sabiam que não seria uma boa ideia… e são gratas a Deus porque, quando nós não ouvimos nossas mães, nosso Pai Celestial continua no controle. Pelas mães, somos cuidados… e vemos demonstrado o cuidado de Deus.

Minha mãe e eu, na última visita dos meus pais em casa - Jan 2010.

Os filhos casam, ou saem de casa… e a aposentadoria das mães é relativa. Os filhos ligam para as mães para saber como faz feijão. Os filhos ligam pra saber se o barulho da máquina é assim mesmo.  Eles escrevem pedindo a receita de  chá para dor de cabeça. Eles ligam pra contar que conseguiram emprego.  Eles visitam pra saber como vão as coisas. Visitam pra passar tempo junto. Visitam porque visitam! E querem visita também. Ligam para contar bênçãos. Visitam para compartilhar pedidos.  Afinal, as mães sempre foram presentes… por que seria diferente agora?

Nessa época, algo costuma acontecer. Os filhos saem, e os nossos avós entram em cena. Às vezes acontece um pouco mais cedo, mas dizem os “estudiosos de família” que é nessa fase. Os pais dos nossos pais estão velhinhos… e precisam ser cuidados. Surpresa: mães! Lá vão elas de novo. Pelas mães, as mães são cuidadas… soa cansativo, eu sei, mas é bonito. É exemplo. E emociona.

As mães oram pelas famílias de seus filhos. Oram pelos genros e noras. Oram pelos seus empregos, seus sonhos, seus planos. Oram por netinhos!!!!  Às vezes cobram alguns inclusive. Oram pos nós. Como sempre oraram. Cuidam de nós! Por que seria diferente agora?

Eu não sou mãe. Com certeza meu depoimento é parcial. Com certeza não escrevi milhares de aspectos importantíssimos da vida de uma mãe quando seus filhos são pequenos, adolescentes, jovens e adultos. Primeiro, porque não caberia aqui. Segundo, porque minha visão é a visão de uma filha, não de uma mãe.

Minha mãe e eu, no dia da noiva - 30/08/2008

Os fatos narrados são reais para mim, porque a minha mãe escolheu assim. Minha mãe foi sempre presente. Minha mãe é presente. Minha mãe é um presente. Um presente de Deus. O maior presente no meio de tudo isso? Minha mãe se tornou minha melhor amiga. E isso não tem preço. Não tem preço eu me lembrar que no dia do meu casamento eu não quis que nenhuma outra pessoa estivesse comigo no meu “dia da noiva”… só a minha mãe. Foi escolha dela construir um relacionamento assim comigo. E eu louvo a Deus todos os dias por isso. E eu oro para que eu consiga levar esse exemplo para frente com os meus filhos um dia.

Mãe, obrigada!! Eu te amo. E um feliz dia das Mães.

Mães, parabéns pelo seu dia. Que Deus as abençoe continuamente na tarefa de criar os seus filhos… se eu pudesse dar um conselho como filha, seria um só: crie seus filhos no temor do Senhor e empenhe-se para fazer com que vocês sejam amigas dos seus filhos. Isso não tem preço para os filhos!

Sogras… Feliz dia das mães! À minha sogra, muito obrigada por ter feito pelo meu marido tudo o que fez. Você preparou o amor da minha vida pra vida!! Obrigada pelo seu amor por ele, que eu vejo muito claramente que se estende a mim também.

Filhas, sejam gratas a Deus pelas suas mães. Empenhem-se em construir um relacionamento de amor, respeito e amizade com as suas mães. Não conheço a história de cada uma, não sei se as suas mães ainda estão vivas. Não sei o legado que cada uma delas deixou a vocês. Uma coisa é fato: Deus sabia o “tipo” de mãe que cada uma de nós precisaríamos. E nos colocou na família que ia de acordo com a Sua boa, agradável e perfeita vontade. Isso é tudo que precisamos saber.

Beijos a todas!!!! E um feliz dia das mães!

 

  O que eu faço agora?

A confusão impera em minha vida! Minha filha, uma jovem adulta, me deixou arrasada. Eu contava muito com ela para provar que, quando ensinamos nossos filhos nos caminhos de Cristo em casa desde cedo, teremos sucesso na prevenção contra a juventude turbulenta que todos dizem enfrentar com seus filhos em casa quando ingressam na universidade.

Mas, ao invés disso, ela age como se eu nunca a tivesse ajudado a encontrar o caminho certo a seguir, em direção a Deus e à verdadeira felicidade. Minha doce e submissa garotinha se foi! Oh Deus, onde eu errei, e o que eu faço com ela agora??

Então Deus me respondeu: “Minha filha, fique tranquila. Ela é sua filha, isso é verdade. Mas não se esqueça que, antes de qualquer outra coisa, ela é Minha filha. Confie em Mim para moldar a vida dela… da mesma forma que Eu continuo moldando a sua.”

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. Neia permalink
    maio 9, 2010 9:26 pm

    Obrigada por me incluir nessa homenagem tão linda !!!!!!!!Bjs

  2. Elaine permalink
    maio 10, 2010 11:16 am

    Naná… que lindo… Deus é maravilhoso mesmo colocando as mães pra cuidar de nós e dos nossos passos na vida…
    Me deu uma vontade de ser mãe hehehe

    Bjs com saudades

    Elaine

  3. Juliana permalink
    maio 10, 2010 12:40 pm

    oi Naná…

    Conseguiu ate me levar ás lagrimas com essa sua mensagem….realmente nossas maes sao presentes de Deus!

    Ju

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: