Skip to content

Por que você não ora? – parte 2

agosto 27, 2010

Como disse na quarta-feira, estou compartilhando com vocês algumas razões pelas quais nós não oramos o quanto gostaríamos e deveríamos, que aprendi no livro sobre oração que terminei de ler.

As três primeiras tinham a ver com PRIORIDADES. Não oramos porque somos influenciadas por outras coisas, gastamos nosso tempo com outras coisas, enchemos nossa mente com outras coisas que vão nos afastando cada vez mais da oração.

Hoje, apresento mais três:

  • Distância – você mora em prédio? Se sim, deve saber o que eu quero dizer pelo termo “conversa de elevador”. Somos forçadas a passar “longos segundos” perto de alguém que mal conhecemos, esperando nosso andar chegar. Meio que como uma obrigação social, às vezes lançamos uma conversinha, que geralmente gira em torno das condições climáticas, do novo zelador, da reforma da piscina… mas nunca sai disso. Por que não? Porque não conhecemos a pessoa. Não temos intimidade com ela. Fica difícil conversarmos com alguém que não conhecemos…. e assim é com o nosso Pai Celestial. Se não O conhecemos direito, achamos difícil falar com Ele! Aí você vai na igreja e canta que Deus é o seu melhor amigo… o que dá na mesma do que dizer que o vizinho do elevador é seu melhor amigo. Vocês não conversam!!!!!!!!! Você nem O conhece, não sabem quem Ele é!! Como é que são amigos? Felizmente, em Sua infinita graça e misericórdia, Deus está pronto a nos ouvir, a nos receber, a deixar que tenhamos intimidade com Ele. Agora, faça a sua parte! Fale com Ele… aproxime-se dEle:

“Aproximem-se de Deus, e Ele se aproximará de vocês!” (Tiago 4:8)

  • Ignorância – não entendemos, não conhecemos ou não conseguimos alcançar a dimensão da bondade e da graça de Deus. Não entendemos exatamente o que Paulo quer dizer quando diz “Aquele que é capaz de fazer INFINITAMENTE MAIS do que tudo o que pedimos ou pensamos….” (Ef. 3:20 – grifo meu). Somos ignorantes no que diz respeito a compreender que Deus é bom! E que Ele quer que oremos, Ele quer ouvir nossas súplicas e petições. A autora do livro cita uma frase interessante de Charles Spurgeon, “Quer gostemos ou não, pedir é a regra do Reino”. Precisamos entender isso. Precisamos entender que Deus quer que que peçamos. Para que possamos desenvolver uma vida de oração, precisamos deixar de ser ignorantes em relação a isso, e exercer a fé do garotinho que, em seus 6 anos de idade e pronto para dormir, foi para a sala onde estava toda a sua família e disse: “Pessoal, estou indo dormir e vou orar agora. Alguém está precisando de alguma coisa?”

“Clame a mim e Eu responderei e lhe direi coisas grandiosas e insondáveis que você não conhece.” (Jeremias 33:3)

  • Pecado – não sei quantas de vocês já estavam acompanhando o blog na época da minissérie do quarto fedido (Se não estavam e queiram ler, está nos arquivos do mês de abril/2010). Nela, contei um incidente tragicômico que aconteceu comigo no seminário, que depois revelou-se uma ilustração muito útil na minha vida, para me manter alerta em relação ao pecado não confessado. Pecados não confessados “fedem”. E quando algo nosso fede, ao invés de procurar resolver, às vezes procuramos apenas disfarçar, esconder o mau-cheiro. Não queremos apresentá-lo a outras pessoas (da mesma forma que a gente não chamava visitas no nosso quarto naquela época!) E na Bíblia vemos isso. Quando Adão e Eva pecaram, eles se esconderam da presença de Deus (Gen. 3:8). Quando Davi adulterou com Bate-Seba e mandou matar o marido dela, ele também se escondeu…. parando de orar e mantendo-se em silêncio: ” Enquanto eu mantinha escondidos os meus pecados, o meu corpo definhava de tanto gemer.” (Sl 32:3). O problema (ou melhor, o início para a solução) é que não podemos esconder nada de Deus. À medida que Davi compreendeu isso, o corpo dele definhava de tanto gemer. Ele sabia que era inútil o seu esforço de parar de falar com Deus, de fugir dEle, de deixar de orar…. porque Deus sabe. Talvez você faça isso na igreja. Vive uma vida de pecado, tem um pecado escondido de estimação, que você confessa todos os outros, mas esse…. ah… esse não. E aí, pessoas que desejam sinceramente te ajudar são colocadas de lado na sua vida. Com elas agora, o assunto é trivial. Só futilidades. Não quer mais aproximação. Minha amiga, se este é o seu caso, volte-se para Deus!!! O que você tenta esconder das pessoas, Deus há tempos já conhece e está pronto a perdoar. Você não ora mais, porque o pecado te afasta da comunhão com o Pai, e é por isso que Jesus, quando nos ensinou a orar na oração do Pai Nosso, incluiu: “Perdoa as nossas dívidas”! (Mateus 6:12a). Confesse seus pecados, confesse seus pecados a quem já sabe de todos eles e está pronto a perdoar!

“Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça.” (1 João 1:9)

 

Estas três novas razões tem a ver com o tipo de RELACIONAMENTO que temos com Deus. Talvez você goste de Deus. Goste de ir à igreja. Mas não ore. Então… gostar não é suficiente! Você AMA a Deus? ADORA  a Deus? Reconhece o sacrifício de Jesus na cruz como único e suficiente para te livrar da condenação do pecado? Se não, Deus te convida para isso. Jesus veio à Terra para viver como homem e pagar pela condenação que nós, homens, merecíamos por escolhermos uma vida contrária à pureza e Santidade de Deus. Ele morreu e, 3 dias depois, ressuscitou para provar que nem a morte ou o pecado vencem o nosso Deus! Agora, através deste sacrifício de Jesus na cruz, temos a oportunidade de, pela fé, restabelecer nossa comunhão e contato com o Deus. Para que isso aconteça, a palavra é FÉ. Fé que Cristo morreu e ressuscitou por você. Não é por obras, senão a vida seria uma eterna competição e seríamos terrivelmente tentadas a achar que merecemos alguma coisa. É por fé. Fé que Jesus me amou tanto que, mesmo eu nada merecendo, Ele veio aqui e pagou a minha dívida. Não é maravilhoso?  Aproxime-se de Deus, e Ele se aproximará de você.

Caso a sua resposta seja sim, ótimo! Sinal de que vocês já foram apresentados e se conheceram. Agora, aproxime-se ainda mais de Deus. Desenvolva com Ele um relacionamento coerente com o que você canta na igreja, fazendo dEle o seu melhor amigo! À medida que isso acontece, você passará a conhecer cada vez mais do Deus a quem você serve e, deixando de ser ignorante em relação ao conhecimento de Deus, com certeza passará a orar mais, afinal, a oração é o nosso canal de comunicação com o Pai!

E, por fim, conforme crescemos em intimidade com Ele, também teremos a consciência da seriedade do pecado, do quanto ele mancha a pureza e perfeição do caráter de Cristo, que devemos buscar ter estampado em TODAS as áreas de nossa vida… e quando cairmos, nosso arrependimento por ter errado o alvo será tão grande que não conseguiremos fingir que está tudo bem, orando sobre trivialidades como se nada estivesse errado. Seremos tão incomodadas que não teremos paz no coração enquanto não nos derramarmos diante do Pai e confessarmos o que Ele já sabia e já havia prometido que perdoaria… se tão somente O pedirmos.

Eu quero um relacionamento assim com o Pai!!!

Você quer?

Beijos e um ótimo final de semana,

Naná…

 

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. agosto 27, 2010 11:52 am

    Oi, tudo bem?
    Sou irmã de Lili, sou da IBAM.
    Gostei muito deste post, vi pelo link do seu twitter!
    O grande problema que vejo em nós, cristãos, é que não aproveitamos as riquezas divinas que nós temos. Nós temos livre acesso ao Pai por meio de Cristo. Já pensou? Podemos nos relacionar intimamente com o Criador de todas as coisas, isso é fantástico! Podemos, por meio da oração, confessar nossas falhas, fazer pedidos, derramar o nosso coração. E o melhor: Ele já sabe o que vamos falar, pois é onisciente, ou seja, conhece o nosso coração!
    Também temos a Palavra de Deus. A Bíblia é o livro perfeito! Nela, a gente pode encontrar tudo o que precisamos para viver bem diante de Deus e os homens.
    Como você fez questão de apontar, ficamos tão ocupados e preocupados com esta vida, com o que nos cerca, que esquecemos que somos feitos para a glória de Deus, e esta vida que temos em nada se compara à eternidade em que viveremos ao lado do Pai. Por isso, para ter um gostinho dessa maravilha que virá, vamos aproveitar agora nossos momentos com o Senhor!
    Deus te abençoe e continue te usando para a glória dEle!

  2. Artur Borges permalink
    agosto 28, 2010 1:13 pm

    Naná

    De fato este texto foi maravilhoso!
    Desejo que Deus continue falando ao seu coração e por extensão aos nossos.

    Não deixe de escrever…percebo que esta é uma capacitação queo Senhor te deu para a Glória dEle.

    Te admiro

    Em Cristo,

    Dea Borges

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: