Skip to content

Santidade na família

setembro 15, 2010

A campanha dos 40 dias de jejum e oração pela família está quase acabando! Estamos na última semana, e tem sido muito legal e muito edificante poder fazer parte dela.

Semana passada, o tema foi “Santidade na Família”. Desde o relato da queda do homem no Jardim do Éden, vimos o quanto o pecado prejudica  família. Para mantermos a instituição familiar livre de máculas e protegida contra as ciladas que o inimigo constantemente tenta armar contra nós, precisamos desenvolver um caráter santo dentro da nossa família.

Ou seja, se cremos que a Bíblia é viva, devemos trazê-la à vida, pois é assim que desenvolveremos santidade. Gosto de lembrar do meu professor de Métodos de Estudo Bíblico, quando fiz a matéria no CTL do Palavra da Vida.  Na primeira aula que me deu, disse que o grande problema que ele enfrentava em sua hora silenciosa era que, quando ele lia um texto e pensava em aplicações, geralmente o raciocínio dele era: “bom, nós devemos nos cuidar contra….”. “Nós”. Impessoal!! Depois ele disse o quanto a vida devocional dele mudou quando, ao invés de usar o “nós”, generalizando a passagem e desta forma pensando sempre em aplicações genéricas, ele usou o “eu”. Puxa, como eu gostei disso! Fez todo sentido para mim. Tenho feito este exercício e comprovo sua eficácia… ajuda demais a trazer a viva Palavra de Deus à minha vida.

Desenvolver santidade é algo que soa muito abstrato, mas é extremamente prático. Precisamos tomar atitudes e fazer escolhas conscientes, racionais e individuais, que nos levem em direção a uma vida santa, diariamente. Parece distante dizer que “precisamos fugir do adultério”, mas é extremamente prático dizer que devo me cuidar em relação aos meus relacionamentos com pessoas do sexo oposto, devo evitar aconselhar pessoas do sexo oposto ou ter conversas íntimas com eles, devo fugir de revistas, programas de televisão e conversas que me induzam a pensar que isto é uma coisa normal.

“Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor.” (Josué 24:15)

Quero muito fazer das palavras de Josué as minhas palavras: Eu e a minha família serviremos ao Senhor. Sei que, para conseguir isso, preciso do Espírito Santo atuando na minha vida. Sei também que preciso me esforçar para conseguir isso, e o Pr Edison Queiroz traz três fatores que considera imprescindíveis para alcançarmos e cultivarmos santidade dentro do nosso lar:

  • Oração. Precisamos orar em família! Orar uns pelos outros, orar por missões, orar pelo país.

“Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz.” (Tiago 5:16)

  • Perdão. Não tem erro: é dentro do relacionamento familiar que mostramos exatamente quem somos. Ou seja, também é neste contexto que somos mais falhos, mais egoístas, mais orgulhosos… e mais carentes de perdão. Devemos perdoar as falhas uns dos outros, quantas vezes forem necessárias… perdoar como Cristo perdoou e perdoa nossos pecados. A falta de perdão nos prende ao passado e faz crescer amargura no nosso coração. O perdão nos liberta para seguir em frente!

“Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou.” (Colossenses 3:13)

  • Palavra. A Palavra de Deus nos ensina, nos fortalece, nos santifica. Precisamos nos empenhar e cultivar a disciplina de manter um padrão frequente de estudo da Palavra de Deus, para que assim saibamos o que Deus espera de uma vida santa.

“Santifica-os na verdade; a Tua Palavra é a verdade.” (João 17:17)

Santificação é um processo. Todo processo tem seus altos e baixos. Às vezes – muitas delas – vamos falhar. Mas a tendência de alguém que vive debaixo do temor do Senhor é que a santificação seja progressiva, avance continuamente, apesar das nossas falhas.

Para isso, é preciso esforço. É preciso orar. É preciso perdoar. E é preciso estar bem nutrida das verdades da Palavra de Deus, para resistirmos e fazermos da nossa família uma instituição divinamente abençoada e que faça diferença!

Anúncios
One Comment leave one →
  1. Néia permalink
    setembro 16, 2010 12:29 am

    Muito puro e verdadeiro. Que Jesus abençoe vcs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: