Skip to content

Onde está sua alegria??

junho 7, 2011

Oi pessoal!!!!

Voltei de férias. Chegamos domingo bem à noite. Ontem foi o dia de lavar todas as roupas e recolocar a casa, os e-mails e os afazeres em ordem. Hoje foi o dia de dormir até mais tarde e agora acabaram-se as desculpas, estou de volta à rotina. Tivemos um tempo MUITO gostoso, pegamos dias lindos e ensolarados, fomos para Orlando e Miami, qualquer hora isso vira post por aqui, afinal, ir grávida na Disney merece algumas considerações especiais hehehe…. mas o foco mesmo da viagem também foi montar o enxoval da filhota, o que também eventualmente pode virar post por aqui. Enfim, aproveitamos muito e também é muito bom estar de volta!

Durante a viagem, como agora o barrigão está crescendo, as pessoas facilmente me identificavam como uma grávida. E eu também não dificulto muito as coisas haha, logo que descobrimos que seria uma menina o Luiz me deu uma camiseta escrito “IT’S A GIRL” e eu adoro desfilar com ela por aí, e isso chama um pouco a atenção haha… teve um dia que estávamos almoçando sentadinhos e comportados num restaurante quando chegou um casal de velhinhos na nossa mesa e a senhorinha disse para mim, “essa camiseta é a mais bonita que eu já vi. adorei, é linda. parabéns pela menina!!” Hahaha… foi engraçado… e o senhorzinho veio atrás com a clássica piadinha que eu descobri que é universal e internacional: “São trigêmeas??”

Essa foi apenas uma das muitas abordagens que recebemos de estranhos quando eu usava essa camiseta. De fato, a gravidez chama a atenção das pessoas, as pessoas te olham diferente, sorriem mais, te dão menos problemas na hora de embarcar um monte de mala pesada e um carrinho, deixam você furar a fila do banheiro no avião…. e no meio de tudo isso, algumas pessoas que perguntam se é o primeiro filho eventualmente falam coisas muito bem intencionadas do tipo: “ter filho é a melhor coisa do mundo”, ou “você só descobre o real sentido da vida quando pega seu bebê nos braços”, e por aí vai.

Não duvido nem um pouco que a maternidade seja algo realmente maravilhoso, mas fico com medo quando ouço essas frases. Primeiro porque quando eu era adolescente cheguei a ouvir algumas vezes essa mesma frase com a palavra “marido” no lugar de filho: “casar é a melhor coisa do mundo”, ou “não existe nada melhor do que dividir sua vida com alguém que você ame”, etc etc… quando ingressamos no mercado de trabalho, as palestrinhas de integração dizem “não existe satisfação maior do que ser realizado no trabalho”, e por aí vai….

Sabe o que me dá medo? É simples. “Ter uma Ferrari é a melhor coisa do mundo”.  “Você só descobre o real sentido da vida quando ouve o motorzão da Ferrari chegando a 900 km/h na estrada”. Escandalizou?? Que horror né? Que materialismo! Quem é esse cara que disse isso???? Hehehe

A diferença é uma só… filho e marido são considerados desejos “lícitos”, já a Ferrari, nem tanto…. mas, sei lá… frases desse tipo me fazem pensar que às vezes é o bebê, o filho, o marido, o trabalho e a Ferrari  que estão, igualmente, sendo a fonte de alegria dessas pessoas… Pensei bastante nisso também no dia das mães. Foi um dia bem especial para mim, é claro, mas fiquei pensando nas pessoas que não são mães. Ou que já perderam suas mães. Ou que tem lembranças difíceis e dolorosas sobre elas. O que elas fazem nesse dia? No nosso mundo, penso que deva ser uma situação difícil, constrangedora e embaraçosa, pois sem querer vendemos por aí, até mesmo nas igrejas, que enquanto “Deus não te abençoar com a maternidade”, sua vida não estará completa.

E isso se chama IDOLATRIA. Não quero ser durona nem estraga prazeres hehee, muito pelo contrário: precisamos nos lembrar que a verdadeira alegria e realização de uma mulher não está no seu casamento ou na sua fertilidade, assim como não está em seu trabalho ou na sua Ferrari (embora talvez uma bolsa Louis Vuitton fosse um exemplo muito mais apropriado para nós mulheres haha). Quando colocamos qualquer uma dessas coisas nesse tamanho pedestal, tiramos o lugar de Deus, que deve ser, por quem Ele é e não pelo que nos dá, a única e suficiente fonte da nossa alegria completa.

Como eu disse, não quero ser estraga prazeres, e acredito mesmo que lembrar disso é o que nos dá mais prazer: eu não dependo de coisas, circunstâncias ou bênçãos para ser plenamente feliz e satisfeita em Deus. É libertador! E foi por isso mesmo que Ele veio, para nos libertar de jugos, escravidões, desejos exagerados por coisas que os outros tem…. Ele é suficiente. Ele deve ser nossa alegria. E, nEle, tudo o que vier é benção, com certeza…. mas nada se compara à bênção maior de sermos filhas dEle.

“Ser filha de Deus é a melhor coisa do mundo”. “Você só descobre o real sentido da vida quando se dobra aos pés da cruz e reconhece o sacrifício que Jesus pagou em Seu lugar”.

Que tal?? Eu gostei… acho bem melhor…. e minha oração tem sido viver com essas duas frases na cabeça, pois sei que assim, as circunstâncias e o desenrolar do plano de Deus na minha vida serão vividos de outra forma!

Quanto às demais coisas, quando Deus está no centro do nosso coração, todas podem ser aproveitadas e desfrutadas com o olhar centrado no que realmente é eterno e duradouro…. e na certeza também de que é Ele quem controla todo o resto!

Uma boa semana a todas, centradas e com o olhar fixo em Jesus!

Naná…

Anúncios
6 Comentários leave one →
  1. Julia Beloto permalink
    junho 7, 2011 3:43 pm

    Parabéns pela ótima e certa reflexão !!!

  2. Elisete Pereira de Assis permalink
    junho 7, 2011 4:24 pm

    Naná excelente o que escreveu, tenho procurado em minha vida cristã a pensar exatamente assim: nada é melhor ou me traz mais felicidade do que ser filha do próprio Deus, e consequentemente desfrutar de tudo que é decorrente disso….maravilhoso abraço

  3. Vera Moura permalink
    junho 7, 2011 8:02 pm

    Sem dúvidas, que muitas vezes preciso refletir e ver se realmente posso cantar aquele hino “Sou feliz com Jesus Meu Senhor”.
    Parece que lá no fundinho muitas vezes ainda há aquela indagação. Serei feliz quando………..
    Devemos ser lembradas que a felicidade é resultado da obediência pela fé.
    Bjos

  4. Elaine Freitas permalink
    junho 7, 2011 8:09 pm

    Naná!!! como sempre gostei muito da reflexão,é muito verdadeira e importante para todas nós!

    Deus continue te abençoando!

    Beijos

    Elaine

  5. junho 7, 2011 8:32 pm

    Naná, essa alegria que você se refere ninguém e nada pode retirar, só a pessoa própria,quando entristece o Espírito Santo de Deus e quando deixa de usufruir as bençãos que Ele oferece.
    Obrigada por ter voltado e nos trazer mensagens lindas.
    Bjs

  6. Vania permalink
    junho 8, 2011 2:36 pm

    Nem o marido, nem o filho e nem a Ferrari (nem os três juntos) sem Jesus podem nos fazer felizes …”sem mim, nada podeis fazer…’
    Mas…, por ter Jesus:
    – Pude experimentar a alegria de estar casada e usufruir com o meu marido do plano de Deus para “uma só carne” e ser feliz com isso.
    – Também ao engravidar e ter um filho, pude ver o amor de Deus através dos olhos de “pai” (ainda que humano) e me sentir especial demais por receber o seu sacrificio por mim e ser feliz com isso.
    – Ainda não tenho uma ferrari, mas se um dia tiver, espero que sirva para ampliar meu entendimento a respeito de Deus, seu caráter e suas bençãos… e ser feliz com isso… (como ainda não consigo saber de que maneira eu poderia aprender através da ferrari, Deus ainda não me deu uma!!! kkkkk)
    Adorei o post! Mil beijos…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: