Skip to content

As redes sociais são uma boa pra você?

março 2, 2013

Oi pessoal!

Essa semana recebi um post do blog True Woman, que por sinal é excelente, e ele falava sobre as redes sociais. Gostei demais do texto, e prometi a mim mesma que faria a tradução dele para publicar aqui. A tradução segue abaixo, e você pode ter acesso ao site e ao material original clicando aqui. Leiam com atenção, vale muito a pena!

Recentemente, encorajei uma amiga minha a entrar no Twitter. Mas, por que?

Boa pergunta. Eu mesma levei um bom tempo até finalmente ceder e entrar no mundo das redes sociais. Eu resistia por três motivos:

–          Tempo: quem tem tempo suficiente durante o dia? Se não podemos fabricar mais tempo para nós, por que então acrescentar algo ao nosso dia que provavelmente irá se tornar um consumidor de tempo incrível?

–          Perigo para o coração: existem muitos perigos disfarçados por trás do aparente mundo feliz e perfeito das redes sociais, incluindo o fato de que podemos facilmente nos viciar nelas. Elas revelam o que há de mais feio em nós: nosso orgulho. O sistema é montado para alimentar nosso narcisismo. Alguns especialistas no assunto  estão dizendo agora que as redes sociais podem levar o indivíduo a sentimentos de infelicidade, inveja, descontentamento e inadequação.

–          Risco de ser pedra de tropeço: na multidão de palavras existe uma oportunidade ainda maior de, intencionalmente ou não, prejudicarmos alguém com algo que postamos online. (Provérbios 10:19). A internet não conta com as inibições face a face que temos para falar alguma coisa, e isso encoraja alguns usuários a postar comentários que eles jamais diriam, mas sentem-se confortáveis em digitá-los na tela (observação minha: vide jogo de futebol e os horrores que lemos dos nossos “irmãos em Cristo”). Fotos e informações alarmantes são repassadas através desses sites sem nenhuma precaução.

Mas então, por que eu encorajaria alguém a acrescentar à sua vida algo com esses potenciais perigos? Por três motivos:

–          Comunidade

–          O evangelho

–          A glória de Deus

A internet nos oferece uma base de operação para propagar o evangelho, encorajar os que precisam, e discipular outros em uma escala de maior alcance do que possivelmente faríamos sem ela.

Eu posso ir tomar um café com uma amiga que precisa de discipulado e ficar ali uma hora com ela, falando sobre a Palavra de Deus. Isso é de grande valor para o reino de Deus – é fazer discípulos! Mas eu também posso gastar uma hora trabalhando num post para o meu blog, com uma mensagem essencialmente parecida com a que eu diria no café, e espalhar essa mensagem a centenas, talvez até milhares de mulheres que precisam daquela instrução. As duas formas de discipulado são importantes.

Eu vejo as redes sociais como uma oportunidade de trocar informações, ideias, fotos, encorajamento, e ficar a par do que acontece com pessoas queridas. Vejo como uma oportunidade de ministério (de mão dupla: eu ministro e sou ministrada), bem como uma atividade de lazer.

Mas e quanto aos perigos que mencionei anteriormente? Eu tomei alguns cuidados, algumas medidas de proteção – não são a prova de tudo, mas tem sido úteis para mim.

Tempo
A primeira coisa que eu percebi quando entrei no Facebook foi o quão rápido o tempo voa quando estou nele. Você pode estar olhando álbuns de fotos de seus amigos e família e, antes que se dê conta, já se passaram duas horas! Eu acho que não tenho tanto tempo disponível, então estabeleci algumas diretrizes pessoais quanto ao uso do Facebook:

  • Eu não instalei nenhum aplicativo para redes sociais em meu telefone. Para mim, isso funciona para proteger o uso do meu tempo, e também me protege de ser bombardeada com um fluxo contínuo de distração.
  • Nunca entro em nenhum site de rede social sem antes ter feito minha devocional.
  • Eu entro online rapidamente para postar algo no facebook ou twitter  que possa direcionar os outros a algo que eu acho que pode ser útil      (discipulado). Geralmente eu tento encontrar ao menos uma verdade ou constatação da minha hora silenciosa que eu possa traduzir nos 140      caracteres que o twitter permite (e isso tem se mostrado uma excelente      disciplina literária também!)
  • No twitter, eu sigo menos de 40 pessoas, assim eu consigo ver as      minhas atualizações rapidamente. Eu não sigo todos os meus amigos e      familiares (uso o facebook para isso), mas sigo pessoas que      consistentemente twittam boas citações, links úteis, ou itens que eu julgo      relevantes.
  • No Facebook, eu uso as opções de configuração para personalizar o      quanto de informação eu recebo dos meus amigos. Eu posto coisas que eu      espero que sirvam como encorajamento para outras e guardo meus passeios      pelos álbuns e perfis dos meus amigos para o meu tempo de lazer. Meu      marido e eu gostamos de fazer isso na sexta ou sábado à noite, juntos.
  • Domingo é um dia de descanso do mundo da internet. Raramente eu      acesso a internet aos domingos; preciso de um dia para clarear minha mente      e coração para a semana.

Perigo para o coração
As redes sociais podem ser viciantes e também alimentar nosso narcisismo. Por isso, também estabeleci algumas medidas de proteção:

  • Eu não checo se as pessoas estão dando “retweet” nos meus tweets. Que      diferença faz? Que benefício me trará saber que meus tweets tem sido      repassados? Isso é um pouco mais difícil no Facebook, já que a gente      sempre consegue ver quantas pessoas “curtem” nossas fotos ou atualizações.
  • Eu não fico olhando toda hora quantos amigos ou seguidores eu      tenho. Meu objetivo não é ser popular, me promover, ou arrecadar “curtidas”.      Se eu uso as redes sociais com a perspectiva de que elas são “uma oferta      para o uso do Senhor”, isso me protege de procurar aplausos para mim      mesma.

Risco de ser pedra de tropeço

Com uma comunidade maior participando da nossa vida e com um volume maior de informações e conversas sendo repassadas, há um risco maior de dano. Como diz Provérbios 10:19, “Na multidão de palavras não falta pecado, mas o que modera os seus lábios é sábio”.

  • Eu lido com minhas palavras online como se minhas conversas incluíssem Jesus – porque incluem! Procuro não dizer nada através desse meio de comunicação que eu não teria coragem de dizer na frente de Jesus.
  • Eu uso Filipenses 4:8 como uma diretriz para o tipo de conteúdo que      eu permito receber nos meus feeds.

Não posso dizer que as redes sociais são uma boa pedida para você. Como qualquer outra coisa, há perigos nela. Para mim, elas servem como uma alternativa para divulgação do evangelho e como uma forma específica (e limitada) de fazer discipulado. Mas, assim como com qualquer outra coisa boa, precisamos ser cautelosas em como administrar essa ferramenta valiosa que é a internet e as redes sociais.

Se você está no twitter, facebook, ou blogando em algum lugar – faça isso para a glória de Deus e compartilhe sempre que puder as formas através das quais Deus tem usado as redes sociais para impactar o seu mundo!

Você usa as redes sociais? Por que sim…. Ou por que não?

Gostei demais do texto. Serviu muito para minha reflexão, fui encorajada e bastante exortada por ele. Eu sou usuária ávida de redes sociais, estive em todas elas durante um tempo. Hoje não tenho mais Orkut (convenhamos, esse na verdade acho que ninguém mais tem), quase nunca abro o twitter e sobrei com o facebook e com o blog. Ah, e às vezes o pinterest me diverte também.

Mas é preciso confessar, o perigo das redes sociais ao meu coração e ao meu uso do tempo são uma constante na minha vida. Percebi que de uns tempos pra cá eu não abro mais o computador para acessar meus e-mails, e sim vou direto no facebook. Sempre ele. Percebi que às vezes fico desapontada quando coloco uma foto que eu acho que vai ser o grande hit da semana e ela não tem o número de “curtidas” que eu esperava. Também já percebi que quando passo muito tempo olhando os perfis alheios, sensações de “a vida dos outros é mais fácil, o emprego dos outros é melhor, o filho dos outros dá menos trabalho e os passeios dos outros são mais legais” são quase sempre inevitáveis. Recentemente, a revista Veja trouxe esse assunto como reportagem de capa inclusive. Muitas pessoas, enganadas pelo mundo cor de rosa do facebook, caem em depressão achando que a própria vida é uma droga. Afinal, você olha para as fotos dos outros, que sempre postam fotos felizes de viagens, curtindo o namorado, os filhos, a família super feliz e unida sem problemas que eles tem, fazem check-in sempre nos restaurantes e hotéis e aeroportos mais incríveis do mundo… e como disse uma amiga minha outro dia, “fazer check-in no Habibs ninguém quer, né?” Haha, achei ótimo, pois a vida no facebook é bem por aí mesmo. É preciso tomar cuidado. Realmente! Uma ferramenta que pode ser super útil no nosso crescimento e encorajamento como comunidade e como cristãos, também pode nos deixar lá embaixo, se não nos cercarmos de cuidados.

Gostei das diretrizes que a autora desse post colocou. Particularmente não gostaria de tirar o facebook do meu telefone, pois hoje mesmo ele foi essencial para administrar o meu humor na fila preferencial do supermercado, na qual estava eu, grávida, e todos os outros velhinhos do bairro comprando 4 itens, pagando com moedinha e não ouvindo o que a operadora de caixa falava. Mas confesso que é tentador resistir a um aviso de atualização ou comentário assim que ele aparece. Gostei da dica de tirar um dia de folga, gostei da dica de só acessar as redes sociais após ter feito minha devocional… gostei de todas as dicas. São diretrizes interessantes, e acho que vou mesmo me guiar por elas.

Espero que o texto tenha servido também para sua reflexão. Que saibamos fazer bom uso desse recurso, como bons mordomos de Cristo!

Beijos a todas e um excelente final de semana!

Naná

Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. março 2, 2013 10:59 am

    Muito bom Nana! Eu ja tinha lido no original e gostei muito da posicao da autora tambem! Deus abencoe sempre sua vida e continue usando esse blog para encorajar muitas mulheres a andarem mais perto de Deus! Beijos

  2. Vania permalink
    março 2, 2013 3:10 pm

    Faço minhas as suas palavras no cometraio sobre o texto. Tentarei fazer algumas mudanças!

  3. Marli permalink
    março 5, 2013 12:26 am

    Quem tem coragem de atirar a primeira pedra? Eu nao. Na vdd, preciso fazer uma nova readequaçao. Obrigado por compartilhar esse texto, Naná. Bjocas.

  4. lucia permalink
    abril 22, 2013 6:41 pm

    MUITO BOM NANA,,AINDA NÃO TINHA LIDO AMEI DEMAIS. DEUS ABENÇOE SUA VIDA, SUA CASA, SUA FAMÍLIA. BJS

  5. raylda permalink
    abril 23, 2013 7:50 pm

    Muito legal…parabens!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: