Skip to content

O que ocupa o centro da sua vida?

agosto 5, 2014

Essa é uma das perguntas mais comuns de se ouvir em eventos, congressos, retiros e acampamentos cristãos. Pelo menos eu já tinha ouvido umas mil vezes e a resposta que costumo dar é sempre a mesma – “a resposta certa”- Deus é o centro da minha vida, claro! Mas… será? Esses dias fui desafiada quanto a isso.

Durante uma pregação na igreja, o pastor falava sobre as coisas que tiram o lugar de Deus, e fez essa pergunta: o que ocupa o centro da sua vida? E aí ele deu uma ajuda para respondermos, e que fez toda a diferença pra mim: O que você ficaria desesperado se fosse tirado de você??

Interessante, pensei. Confesso que nunca tinha pensado por esse ponto. Ele continuou: se Deus fosse – simbolicamente, pois felizmente não é possível – tirado de você, você ficaria desesperado? Se a sua liberdade de culto, seu acesso à Bíblia fossem subitamente vetados, você se desesperaria por não poder mais fazer isso ou…. seguiria a sua vida?

Achei a pergunta ótima, e o raciocínio fantástico, mas confesso que não dei bola para a questão e segui a vida… até que recentemente, aqui em casa, algo aconteceu….

Para quem não sabe, nós nos mudamos há dois meses, pela QUINTA vez. Sim, e parece que agora é definitivo, mas eu não falo mais em definitivo quando o assunto é moradia hehe… mas enfim, o apartamento aqui em Jundiaí (voltamos!) é uma delícia, a cidade é gostosa, o trânsito é bem menor etc etc, mas existe algo terrível aqui em Jundiaí: encontrar funcionárias do lar.

Trata-se de uma missão praticamente impossível. Se você é de São Paulo e acha que a coisa por aí tá ruim, você não viu aqui. Já passaram três moças por aqui, cada uma com um golpe diferente… essa última parece que deu certo, vamos ver.

Mas, antes dela aparecer, cheguei a ficar quase 30 dias sem ninguém para me ajudar com as tarefas da casa, da cozinha, da roupa, e das crianças. Se você não tem filhos, pode estar me achando fresca, madame e folgada. Se você tem, talvez você entenda um pouco da minha aflição em ter alguém para fazer pelo menos o pesado, mas enfim… só sei que aí, pessoal…. eu surtei. Surtei completamente. Essa situação realmente me revoltou, adoraria dizer que estou exagerando mas não estou não. Eu simplesmente não aguentava ter de limpar os banheiros, a cozinha, tirar o pó (e tem MUITO pó por aqui, obras por todos os lados ainda), passar roupa…. e lidei com tudo isso da pior e mais horripilante e vergonhosa forma possível. Mau humor, má vontade…. desespero! Desespero porque…. uma funcionária do lar foi “tirada” de mim e eu agora tinha que fazer as coisas sozinha!

Foi aí que caiu a minha ficha e a pergunta lá de cima veio direto na minha mente e me quebrou em mil pedacinhos… “O que deixaria você desesperado se fosse tirado de você? Isso é o que ocupa o centro da sua vida!” – Então a faxineira é o centro da minha vida, será que é isso??

Não… ela não. Mas o CONFORTO, sim. Descobri que a minha “necessidade” por conforto é algo tão imenso que se ele é de alguma forma tirado de mim, eu me desespero. E eu digo necessidade entre aspas porque a Bíblia me diz que a minha única e real necessidade é de quem? De DEUS! Somente nEle deve estar fundamentada a minha alegria. É só dEle que eu REALMENTE preciso. E é só Ele quem deveria ocupar o centro da minha vida.  E de quem eu deveria depender pra tudo, inclusive para respirar fundo, colocar a mão na massa e ir lá passar roupa com alegria (não necessariamente sorrindo, não estou pensando no mundo Mary Poppins…. mas com alegria, gratidão, isso sim!).

Que constrangedor momento foi esse, de me perceber tão pequena, tão fútil até, e tão orgulhosa. Mas ao mesmo tempo, que momento maravilhoso de perceber a mão de Deus amorosamente me trazendo de volta para o lugar de onde eu não deveria sair nunca, o de dependência completa de Deus, o de dar a Ele sempre o centro da minha vida.

Ainda não gosto de passar pano na cozinha muito menos de esfregar o chão do banheiro, e continuo firme no propósito de arrumar uma ajudante O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL – mas em meio a esse pequeno insight que Deus me deu através da pregação daquele pastor, Ele me deu a chance de rever minhas prioridades, sondar meu coração, e ajustar minhas atitudes.

As circunstâncias mudaram? Ainda não. Mas a minha atitude sim. E na maioria das vezes, é nisso que Deus está mais interessado.

O que ocupa o centro da sua vida? Que seja Ele, sempre Ele, e somente Ele!

“Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas as demais coisas serão acrescentadas a vocês”. (Mateus 6:33)

Beijos,

Naná

(desculpem a ausência no blog, mas com esse post, acho que vocês já entenderam um pouquinho as causas do sumiço, né? Rsrs)

 

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. karina cardoso meira permalink
    agosto 5, 2014 8:25 pm

    Naná. Obrigada por compartilhar com suas experiências com Deus conosco. A cada post sou abençoada. Deus te abençoe. Grande beijos

  2. agosto 6, 2014 12:50 pm

    Nossa Naná, você sempre me emociona com suas publicações, mas essa foi uma flecha penetrante… também coloco o conforto (entre outras coisas) bem no centro da minha vida, muito na frente de Deus, e vivo murmurando… ah como é difícil… mas vou mastigar e digerir muito bem suas palavras e tentar mudar minhas atitudes, nas minhas circunstâncias.
    Obrigada por compartilhar suas histórias, Deus tem te usado pra falar comigo e louvo a Ele por sua vida!
    beijos!

  3. Rafaela permalink
    agosto 6, 2014 3:01 pm

    Oi Naná!! sei bem como é essa vida de dona de casa, eheheh.
    Saudades, Deus abençoe sua familia.
    bjs

    Rafaela

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: