Skip to content

Por um fim às guerras maternas parte 04- Afinal, o que é essencial?

maio 6, 2015

FATO: Se seus filhos não souberem ler aos 4 anos, há uma chance de 95% deles acabarem viciados em drogas e desabrigados.

FATO: Se seus filhos comem comida industrializada, a chance deles contraírem uma rara, degenerativa e fatal doença antes da adolescência é de 85%.

FATO: Se você não acorda ao nascer do sol para ter seu momento de culto doméstico com seus filhos, você provavelmente não é cristã.

FATO: Se seus filhos assistem mais do que 10 minutos de televisão diariamente, há uma chance de 75% deles integrarem uma gangue violenta na adolescência.

Obviamente, os “fatos” listados acima não são verídicos. Mas, como temos visto com frequência, a internet tem sido uma ferramenta incrível para as pessoas se compararem umas às outras, especialmente as mães. E, como boas mulheres (e pecadoras) que somos, não nos contentamos apenas em comparar: botamos defeito, invejamos ou detonamos quem faz diferente do que fazemos, seja para “melhor” ou para “pior”.

Veja, não há problema em ler posts e blogs da internet sobre a maternidade ou sobre qualquer outro assunto. O problema está na tendência incrível que temos de entrar em pânico e sentir-se um verdadeiro desastre quando lemos blogs de mães ou vemos postagens no facebook, instagram, pinterest ou qualquer outra rede social.

Queridas mães, o que Deus deseja de nós é que relaxemos como mães. Li uma vez e nunca esqueci: fazer pães caseiros diariamente para os filhos não é requisito de Deus para que sejamos mães piedosas. Costurar e fazer as roupas dos filhos também não. Deus não espera que as mães comprem apenas alimentos orgânicos, façam scrapbook, jardinagem, façam uma horta ou nunca jamais deem comida industrializada para os filhos. Veja, não há absolutamente NADA errado em nada disso, mas admita: na descrição bíblica do seu papel de mãe, não existe nenhuma dessas coisas. Ou seja, no fundo, no fundo… não é essencial.

O grande ponto do que é essencial é que, se formos olhar na Bíblia, ele é muito simples. Muito, muito simples. E por isso é que parece pouco; aí criamos demandas a mais, nos sobrecarregamos por acharmos que temos que dar conta de todas elas, perdemos o foco do que realmente importa, ficamos exaustas… e não fazemos a essência do que Deus pede! Então vamos lá, o que, afinal, é essencial na maternidade??

“Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força” (Marcos 12:30)

“[…] amarem ao marido e a seus filhos, a serem sensatas, honestas, boas donas de casa, bondosas, sujeitas ao marido, para que a palavra de Deus não seja difamada” (Tito 2:4-5)

  • Ame a Deus. Isso significa que, por amá-lo, você se empenha em encontrar algum tempo durante o dia para encontrar-se com Ele. Ter seu tempo a sós com Deus, ler a Sua Palavra, orar, adorá-lo, entregar a Ele seus anseios e preocupações. Não precisa ser antes de seus filhos e maridos acordarem. Não precisa ser antes do nascer do sol, de madrugada. Seu papel é amar a Deus. Como você vai fazer e demonstrar isso pode ter milhões de jeitos diferentes. Encontre o que se encaixa na sua rotina e faça disso uma prioridade. Faz parte do papel!!
  • Ame seu marido.  O Segundo essencial na maternidade é amar e servir o seu marido. Os maridos também devem fazer o mesmo por suas esposas, mas isso é assunto para outro blog. Se ele realmente gosta de pão caseiro, talvez seja mesmo uma boa você fazer pra ele. Mas não faça pão em casa simplesmente porque viu outras mães postando foto dos seus pães e banquetes no Facebook. Amar o marido é essencial… e no meu caso especificamente, um pão francês fresquinho da padaria faz muito mais por ele do que eu me atrever a fazer um pão em casa!!
  • Ame seus filhos. Seu papel e chamado como mãe é amar seus filhos e ensiná-los a amar a Deus. Eles não precisam falar latim e alemão antes dos seis anos. Se eles aprenderem, parabéns pra você! Mas isso é um bônus, não faz parte da descrição do seu trabalho. Seu papel é simplesmente amá-los de todo o seu (exausto) coração, e ensiná-los os caminhos do Senhor. E, acredite, isso já é um chamado e função extraordinários. Não acrescente a isso outras coisas extravagantes, que vão tornar sua vida ainda mais difícil e estressante. Se você quiser ensinar seus filhos a costurar, ótimo. Mas não se entupa de culpa de eles não estiverem fazendo as próprias roupas aos 10 anos. Lembre-se, não é essencial.

Mães, Jesus quer que descansemos nEle. Ele quer que as mães… relaxem! Seu fardo é  suave e seu jugo é leve. Não gastemos nosso tempo e energia nos comparando a outras mães. Não tentemos  ser algo que Deus não nos chamou para ser!! Se os blogs maternos ou redes sociais estão fazendo com que você se sinta mal ou culpada sobre o seu papel, pare de lê-los! Permaneçamos fiéis naquilo que Ele de fato nos chamou para ser e fazer, e tenha certeza de que, se estivermos alinhadas com o que realmente importa, Ele se agradará de nós. Quando seus filhos estiverem dormindo, não se sintam culpadas por tirarem uma soneca, assistirem um pouco de TV, pintarem o Jardim Secreto (minha nova modinha! Hahaha) ou fazer qualquer outra coisa que vocês realmente gostem!!!

Ame a Deus, ame seu marido, ame seus filhos. Que Ele nos ajude a focar no essencial, simplificar, parar de brigar umas com as outras… e relaxar!

Beijos a todas

Naná

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: