Skip to content

Uma cartinha para o João… em seu segundo aniversário

julho 6, 2015

Filho!

Nem acredito. Ainda ontem eu estava aqui refletindo sobre a derrota emblemática do Brasil contra a Alemanha na sua cartinha de 01 ano e hoje você está aí, todo moleque,risonho que só, dois anos, correndo pela casa toda e falando suas tão esperadas primeiras palavras.

Acompanhar seu desenvolvimento esse ano foi cheio de alegrias e surpresas, e eu me sinto verdadeiramente privilegiada por ter visto tudo isso de pertinho, independente da ordem em que suas primeiras palavras foram saindo (falar café antes de falar mamãe foi um desaforo, mas eu já superei! Hehehe).

Esse seu segundo ano de vida foi movimentado! O molequinho que existe em você se libertou, e aquele bebê pacato e dorminhoco que passava horas sentado batendo um mesmo brinquedo no chão deu lugar a um furacãozinho, que insistiu em aprender a correr antes mesmo de aprender a andar, e que tão logo desenvolveu as habilidades mínimas de andar e subir degraus, já estava escalando o sofá, a cama, o berço, o cadeirão, e qualquer coisa alta que estivesse disponível. Ou seja… foi também um ano de tombos, hematomas, e de me fazer pensar seriamente em desenvolver um capacete emborrachado para essa sua fase. Meninos!

Também experimentei um pouco da sua ira, quando lá pelos seus 15 meses de vida, você simplesmente resolveu que alimento era para os fracos e que, na qualidade de ser superior, você não precisaria mais dele para o seu crescimento… e fechou a boca!! Filho, o que foi aquilo???? Sério… o que foi aquilo. Como fico feliz em escrever essa carta já no passado, sabendo que essa fase passou, e que embora você não seja assim um devorador de comida como é a sua irmã miúda, pelo menos voltou a comer, e tem feito isso de forma regular. UFA! Foram exatos 29 dias de João sem fome, sem aceitar nada diferente de leite, bolacha e suco, e o pior (ou melhor?) é que não perdia peso…

Um dia vou te contar em detalhes o quanto isso foi difícil pra mim, e o quanto eu percebi minhas fragilidades e falhas como mãe. Percebi que era uma mamãe boazinha quando tudo acontecia do meu jeito e quando meus filhos me agradavam; e que eu era uma mamãe orgulhosa, muito orgulhosa, que achava que tinha que dar conta de tudo sozinha e ter os filhos perfeitamente alimentados, com refeições balanceadas em todas as refeições. Quando isso saiu do meu controle… Perdi a cabeça. Deus trabalhou demais comigo em meio a essa sua greve de fome, você nem imagina o quanto.  Então eu até te agradeço por isso filho, mas assim… eu acho que já aprendi ok? Não me inventa isso de novo!!! Hehehe

Foi também o ano de algumas medidas importantes de amadurecimento. Mamãe voltou a trabalhar, e com isso você também foi para a escola, junto com a Teté, que já ia. Foi difícil o começo, mas vê-lo todo feliz todos os dias arrastando sua mochilinha e correndo (sempre correndo, já reparou? É um mini maratonista!) quando entra e quando sai da escola enche o meu coração de alegria!!  Além disso, lá na escola o seu apelido  – JOÃO FURACÃO – também  me dá indícios de que você está assim… bastante adaptado, eu diria! Hehe

E teve ainda o fim do assunto chupeta!! Sim, mais cedo do que eu esperava, e pegou a todos nós de surpresa. Um belo dia você resolveu morder sua chupeta até furá-la por completo, e não aceitou nenhuma outra… mas queria aquela! Foram quatro horas (exatas, não tem exagero não) para dormir na primeira noite, eu e o seu pai beiramos o pânico naquele dia, hahaha, mas você nos surpreendeu ao dormir assustadoramente mais rápido na segunda noite, e na quinta noite o assunto já estava resolvido. Parabéns filhote! Podem parecer conquistas pequenas para quem já é grandão, mas para você são marcos importantes, e puxa, como eu fico feliz por fazer parte de tudo isso!!

Bom… isso foi um resumão do que se passou nesse último ano. Pensando no que eu poderia deixar registrado de especial nessa cartinha de dois anos, quero me basear em algo que aconteceu alguns dias antes desse seu aniversário, e que provavelmente você vai reparar nas fotos daqui a alguns anos: o seu primeiro corte de cabelo.

Papai e mamãe resolveram que era hora de você finalmente ter o seu primeiro corte de cabelo, e que seria muito legal fazer isso antes da sua festinha, para que você já saísse nas fotos de cabelo novo etc etc enfim, essa coisa toda que os pais inventam. Pois bem, acontece que a gente não conhecia nenhum cabeleireiro infantil por aqui, o da sua irmã é em São Paulo, e diante da urgência que criamos para essa necessidade… tudo isso nos levou a decidir que cortaríamos seu cabelo por aqui mesmo, e foi então que papai e mamãe (juntos, sempre juntos, jamais dissociarei os dois dessa decisão! Hahaha) decidiram marcar no tiozinho do salão do prédio, recém-inaugurado, e que com toda pompa disse que era PhD em cortes infantis.

Acontece, filho… que ele não era! Então seu primeiro corte de cabelo saiu assim ligeiramente aquém das nossas expectativas. Você chorou o tempo todo, não teve Galinha Pintadinha nem Turma do Cristãozinho que resolvesse, e como se não bastasse tudo isso, o suposto PhD em cortes infantis desceu a tesoura nas laterais do seu cabelo de um jeito inexplicável, e ainda quis me convencer que tinha ficado daquele jeito porque você não tinha muito cabelo!!!

Enfim. Saí de lá arrasada. Subi o elevador torcendo para que o seu pai não reparasse – HA-HA-HA. Foi a primeira coisa que ele fez, e nós passamos o restante da tarde e da noite olhando para você pensando em como consertar seu novo cabelinho, e se haveria conserto. Chegamos a uma conclusão: só o tempo mesmo, filho… vai crescer, e você não vai lembrar! Hehehe… ai ai

Em meio a tudo isso, algo saltou aos meus olhos: sua postura de criança. Embora naturalmente assustado com o ambiente, a tesoura, o moço maluco e tudo mais, depois do corte você estava como sempre: alegre, animado, brincando, curtindo tudo, sorrindo e nos abraçando. Mesmo de cabelinho torto, você continuava como sempre foi… tendo tudo o que precisa e ama por perto, o cabelo não importava!

“Mas Jesus chamou a si as crianças e disse: Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas. Digo a verdade: quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele”. (Lucas 18:16-17)

Filho, o que eu desejo para você é exatamente isso. Que Deus te dê a força e a graça necessárias para crescer de tal forma que, independente de qualquer circunstância, sua escolha seja sempre a de estar alegre. Eu sei que essa dependência que hoje você tem de mim vai – e deve- passar um dia, mas a minha oração é que ela aumente a cada dia em relação ao nosso Pai Celestial. Sim, porque a mamãe erra… mas Ele? Ah… com Ele não tem erro. Depender dEle, descansar nEle, alegrar-se nEle, é a melhor escolha que você pode fazer na vida.

Fazendo isso, tanto faz se o dia foi bom ou ruim na escola; tanto faz se você foi o primeiro ou o último a ser escolhido para o time de futebol; tanto faz se seus amigos rirem de você porque você escolheu ser diferente e mantém sua vida pura e íntegra: tendo tudo o que precisa e ama por perto (e Deus é tudo de que você precisa!!), nada disso importará, e você poderá continuar seguindo a sua vida na dependência daquEle que te ama infinitamente, e que já tem o seu rumo traçado, os seus dias definidos e um plano maior, muito maior do que qualquer circunstância difícil que cruzar o seu caminho.

Dependência é uma palavra que o pessoal adulto geralmente não gosta, mas vai por mim, quando ela é relacionada ao Deus Perfeito e Criador de todas as coisas, ela é uma virtude a ser perseguida, e poupa a gente de muita dor de cabeça e preocupações desnecessárias.  Quanto mais cedo aprender isso, melhor! Nada nessa vida me alegrará mais do que ver você e a sua irmã buscando seguir, servir e depender daquEle por meio de quem todas as coisas existem: o nosso Deus!

Quanto ao mais, agradeço por finalmente ter me deixado começar a escovar os seus dentes sem antes travar comigo uma árdua batalha; um dia você ainda vai me agradecer por ter insistido todos os dias apesar dos constantes chutes e gritos de revolta. Se você acha que eu acabei, haha, vá se preparando, pois para esse ano teremos novidades… vamos aposentar as mamadeiras e substituir as fraldas por cuecas e pelo vaso sanitário… não diga que não avisei antes!!

Te amo, filhotinho, você não imagina o quanto. Meu coração se enche de alegria ao ver o quanto Deus tem abençoado a minha vida com você e com a Ester. Hoje vejo razão e sabedoria na mãe que disse que os dias de uma mãe de filhos pequenos são muito longos, mas os anos são curtos. Vocês crescem rápido demais… rápido demais. Só peço a Deus sabedoria, saúde e graça para aproveitar tudo isso ao máximo. E, no seu caso, muita energia também, porque eu nunca vi menininho mais enérgico!!!

Um beijo com todo o meu amor,

Mamãe

 

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: