Skip to content

Clube do Livro: Feminilidade Radical

maio 23, 2017

Esse livro foi lançado em português pela Editora Fiel nas proximidades do Dia Internacional da Mulher deste ano. Comprei assim que vi, porque já conhecia a Carolyn McCulley de blogs em que ela costuma escrever (dentre eles, o Desiring God, do John Piper, o The Gospel Coalition, True Woman, etc).

Quando o livro chegou, fiquei animadíssima, pois de cara você percebe que ele é diferente. A capa modernosa, preta e pink, com flores psicodélicas na capa e nas divisões de cada capítulo já vão mostrando que a abordagem é um pouco diferente das abordagens “compotas de maçã” que existem por aí (caso ainda não tenha ouvido minha teoria sobre as compotas, um dia explico com calma. Por enquanto, apenas esclareço: nada contra compotas, muito menos as de maçã. Aliás, nada contra as abordagens nesse estilo, apenas não é a minha!). E aí, conforme fui lendo, ou melhor, devorando o livro, só comprovei a minha impressão: este é um livro diferente de tudo o que já li sobre a feminilidade bíblica, e vai por mim, você PRECISA ler!

Título: Feminilidade Radical – fé feminina em um mundo feminista

feminilidade radicalAutora: Carolyn McCulley é jornalista, autora, palestrante e cineasta. Ex feminista convicta, o que faz dela uma das melhores e mais indicadas pessoas para falar sobre o tema. Não é à toa que o livro é tão incrivelmente bem articulado, recheado de fatos históricos e de uma sólida argumentação que aponta com clareza todos os benefícios que o feminismo trouxe em todas as suas ondas, e também o perigoso engano que se infiltrou na igreja em decorrência dele. Esse livro é ótimo, essa autora é espetacular e escreveu outros dois livros, um sobre a vida solteira (ela é solteira), e outro, que estou lendo agora pelo kindle, que é SENSACIONAL e que infelizmente ainda não tem traduzido para o português, chamado: Measure of success – uncovering the biblical perspective on women, work, and the home, que fala sobre a mulher, o lar e o trabalho. Um show de livro. Virei fã dela, pela escrita profunda e leve ao mesmo tempo, jornalística, embasada biblicamente, enfim… leia o livro!!

Editora: Fiel

Páginas: 364

Sobre o livro:  Carolyn McCulley conheceu a Cristo como seu único e suficiente Salvador aos 30 anos, quando já era jornalista formada, com ênfase em Estudos Femininos, e trabalhava como editora de uma grande revista norte-americana. De repente, sua vida virou de ponta cabeça, pois, ao estudar a Bíblia com profundidade, Carolyn começou a perceber que tudo aquilo que ela sempre aprendera como verdade acerca da mulher, do empoderamento feminino e da opressão que os homens exerciam sobre a mulher eram, na verdade, conhecimentos baseados em uma visão totalmente distorcida de Deus e seus propósitos. Ao conhecer melhor a Bíblia, e compreender quem Deus é, como Ele criou homem e mulher ambos à Sua imagem e semelhança, iguais em essência, iguais em propósito, porém diferentes em função, Carolyn percebeu que as ondas do feminismo infiltraram enganos fatais na visão que as pessoas tem acerca de Deus e seu plano para as mulheres. Portanto, apesar dos muitos e reconhecidos benefícios que os esforços feministas garantiram e tem garantido às mulheres ao longo das últimas décadas, como o direito a voto e a menor disparidade salarial no campo de trabalho, essa distorção da visão e plano divinos de Deus para a mulher tem feito crescer uma confusão acerca de papeis, valores e vida cristã feminina no mundo de hoje.

O livro tem 8 capítulos, divididos para falar sobre a perspectiva histórica do lar, do feminismo e do papel da mulher na sociedade, um capítulo dedicado ao assunto tão mal-entendido da SUBMISSÃO bíblica (excelente capítulo! Excelente. Ela diz o quanto tinha horror a essa palavra, e o quão desafiador foi aproximar-se da Bíblia para saber o que de fato Deus tinha a dizer sobre isso – e o quanto ela se surpreendeu com o plano de Deus para o casamento!), e outros dedicados ao lar e ao trabalho que é feito em casa (cada vez mais menosprezado, independente da mulher trabalhar fora ou não – aliás, ela aponta que a questão  nem é essa), maternidade, sensualidade e vulgaridade e, por último, a fé feminina. O livro conta ainda com materiais de apoio para aconselhamento e condutas em caso de abuso.

Um pequeno trecho:

“É desconfortante pensar que à idade de trinta anos tive de aprender que existem diferenças fundamentais entre homens e mulheres. Mas eu cresci com o dogma feminista de que diferenças de gênero são culturalmente criadas – que, à parte das diferenças estruturais óbvias, somos inerentemente iguais. Pesquisas médicas tem desmantelado essa teoria nos últimos anos à medida que descobrimos diferenças biológicas significativas entre homens e mulheres, especialmente na área de anatomia e do funcionamento do cérebro. Como um artigo sobre neurociência afirmou, as diferenças entre os sexos são mais complexas do que originalmente se suspeitava. […]

Nossas estruturas cerebrais diferentes indicam que homens e mulheres processam estímulos, emoções e memórias diferentemente uns dos outros.  Essencialmente, somos planejados para funcionar diferentemente. No entanto, pesquisadores enfatizam que não há qualquer diferença entre homens e mulheres no que se refere a QI ou inteligência. Nossos cérebros confirmam o que a Escritura nos diz: homens e mulheres são iguais em essência, mas criados para funcionar diferentemente.”

 Repito, a visão bíblica e histórica bem fundamentada é surpreendente, e é um livro que eu recomendaria para qualquer mulher, de qualquer idade! Ótima dica de presente inclusive!

Um abraço a todas, e até a próxima,

Naná

 

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: